13/04/2017

Querido Dejá-vu!


                              Imagem relacionada

Na continuação do post anterior, partilho o conteúdo que preparei para a explicação do fenómeno Dejá-vu, e que levei à rubrica "Querida Saúde" do programa Queridas Manhãs, na SIC. 
Se puderem, revejam e façam o exercício que propus.

Podem também consultar aqui, na publicação da revista "Júlia, de bem com a vida."

O que é o Dejá vu?

Dejá vu é um termo francês para a expressão “Já visto” ou “eu já vi”. É uma experiência tão estranha quanto curiosa, sendo analisado por várias disciplinas, desde as mais místicas até às mais científicas.
Traduz-se pela vivência de uma sensação de estar a acontecer algo que já aconteceu. Os estudos mais recentes, na área da Neuro-ciência indicam que para se tratar de um Dejá vu terão que estar reunidos um conjunto de critérios:
1 – Incluir uma sensação de familiaridade
2 – Não existir nenhuma relação com um acontecimento passado
3 – Existir um conflito ente a familiaridade percebida e a novidade da situação.

 

Compreender o Dejá vu.

A psicologia lê este fenómeno à luz de uma função da nossa memória que é a recognição por familiaridade. Para perceber, é importante compreender como é que a nossa memória é estruturada: a nossa memória integra a memória sensorial (proveniente dos sentidos), a memória de curto prazo (imediata e de trabalho) e memória de longo prazo (declarativa e não declarativa).
A recognição é a capacidade de reconhecer um objeto, facto, rosto ou pessoa. É por isso vital para as funções mais básicas no dia a dia. A recognição pode ocorrer por recordação, por exemplo, ouvindo uma música e recordar de ter ouvido essa música ontem na rádio, ou por familiaridade, parecida com a recordação. No entanto, continuando com o exemplo da música, ouve-se a mesma música na rádio, essa música soa familiar, mas não se sabe exatamente de onde.

 

Gravidade do Dejá vu

Existem alguns estudos que tratam o Dejá vu enquanto fenómeno característico de quadros clínicos, enquanto elementos típicos de se verificarem. O que é certo é que a investigação em torno do fenómeno também sugere que este é um fenómeno transversal à população em geral. Basta perceber aqui quantas pessoas já viveram a sensação de Dejà vu.
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© TIAGUTOPIA. All rights reserved.